O Programa

SOBRE O PROARQ

 As atividades de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro – PROARQ/FAU-UFRJ tiveram início em 1987, quando foi aberta a primeira turma do Mestrado Acadêmico em Arquitetura. Desde então, o Programa se reestruturou de forma a atender à demanda contemporânea por pesquisa, com a preocupação de se mostrar afinado com os avanços na produção do conhecimento em arquitetura, tendo iniciado seu curso de Doutorado em Arquitetura em 2003. O Mestrado Profissional em Projeto e Patrimônio foi criado em 2013.

Em 2017 a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Educação - CAPES classificou o Doutorado e Mestrado Acadêmico no nível 6 (seis) e Mestrado Profissional no nível 4 (quatro) - os mais altos níveis de avaliação entre todos os cursos de pós-graduação de Arquitetura em cada categoria. 

Ressalte-se que em 2015 o PROARQ foi agraciado com o "Grande Prêmio CAPES de Tese da Área de Ciências Humanas, Lingüística, Letras e Artes, Ciências Sociais Aplicadas e Multidisciplinar", tornando-se o primeiro Programa de Pós-Graduação em Arquitetura no Brasil a receber essa premiação. 

OBJETIVOS E METAS

Desde sua fundação, o PROARQ mantém os objetivos relacionados a produção e difusão de conhecimento científico e profissional e a formação de recursos humanos para a pesquisa e docência em Arquitetura, busca privilegiar a atualização e a renovação constantes dos fundamentos teóricos e da prática desse campo, considerando-o ao mesmo tempo tecnológico e cultural. Suas atividades são estruturadas de modo a garantir a flexibilidade face às transformações do campo da arquitetura e aos interesses dos corpos docente e discente. No PROARQ, a pesquisa, o ensino e a produção acadêmica se estruturam em função de três áreas temáticas de concentração - Qualidade, Ambiente e Paisagem, Restauro e Gestão e do Patrimônioe História e Crítica - e permanecem atualizados através da diversidade das linhas de pesquisa desenvolvidas.

Ao enfoque humanista, que fundamenta o Programa, soma-se a preocupação com as tecnologias construtivas, processos de produção, racionalização e conforto ambiental, aspectos que estiveram presentes na produção do curso desde a sua criação em 1987. As pesquisas, estudos temáticos e os debates da complexidade dos problemas que envolvem o Projeto, a Tecnologia, a Preservação e a Teoria da Arquitetura são as prioridades das Linhas e Projetos de Pesquisa, organizados nas Áreas de Concentração acima citadas, e se concretizem na produção intelectual dos docentes, discentes e colaboradores no âmbito dos grupos e laboratórios de pesquisa.

 

O enfoque inter e transdisciplinar, as interrelações entre a Teoria e a Prática e a indissociabilidade entre o Ensino e a Pesquisa são pontos fortes do Programa e embasam a integração entre os corpos docente e discente, estruturados nas Linhas, nos Projetos e nas Disciplinas oferecidas, alimentadas de forma constante pelas pesquisas em andamento e pelos seus resultados. A ampliação dos convênios nacionais e internacionais, o fortalecimento das linhas e dos grupos de pesquisa, as assessorias, a diversificação de veículos de difusão e comunicação, e a organização de publicações, seminários, workshops e exposições constituem ações de integração das atividades de Ensino e Pesquisa e dos níveis de pós-graduação e graduação. 

OBJETIVO GERAL

Buscar a excelência acadêmico-científica, incrementando a produção do conhecimento, da ciência e da tecnologia na área de Arquitetura e Urbanismo com a formação de recursos humanos para pesquisa, atuação profissional e docência, através do fortalecimento e ampliação de sua rede de relações de âmbito local, nacional e internacional.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Os objetivos específicos são compromissos que o Programa assume até o final do quadriênio, e que se voltam para o alcance de três metas estabelecidas:

META 1: Visibilidade e difusão do conhecimento:

• ampliar a participação docente e discente nas principais publicações científicas internacionais que abordam as questões do campo de saber da Arquitetura e Urbanismo;

• estabelecer parcerias para o aumento na produção de pesquisas inovadoras nas diferentes áreas de concentração, ampliando o alcance da produção bibliográfica do Programa;

• incentivar a produção intelectual de docentes e discentes, garantindo a permanente divulgação dos resultados obtidos com as pesquisas desenvolvidas no Programa;

• melhorar as interfaces de comunicação e divulgação possibilitando ações à distância e o aumento da visibilidade do programa.

META 2: Inserção social e visão de futuro:

• incentivar a realização de pesquisas alinhadas com os temas emergentes relacionados com a formação de cidades e construção de edifícios;

• aprofundar as discussões em torno das tecnologias relacionadas à arquitetura e urbanismo com ênfase para as possibilidades oferecidas pelas tecnologias digitais na produção de cidades inteligentes;

• aprimorar as pesquisas visando à formação de mestres e doutores preparados para atuar na sociedade;

• aprofundar as discussões em torno da relação entre memória e inovação.

META 3: Internacionalização e Inovação

 consolidar os convênios com a América Latina, países lusófonos e França, e ampliar parcerias internacionais com outros países;

• ampliar os convênios nacionais com o apoio dos órgãos de fomento;

• participar de redes de cooperação acadêmica com outros programas e universidades, que resultem, em particular, em Mestrado e/ou Doutorado Interinstitucional (MINTER e DINTER);

• participar de projetos interinstitucionais no âmbito do PROCAD (Programa Nacional de Cooperação Acadêmica) e outros editais dessa natureza, assumindo a liderança na disseminação do conhecimento e formação de mão de obra qualificada em diferentes partes do país;

• incentivar as ações de extensão criadas e as atividades compartilhadas com a graduação (oficinas, seminários, cursos de curta duração e workshops) e que atendam às demandas emergentes da sociedade;

• incentivar as missões ao exterior visando ao fortalecimento das redes de pesquisa e criação de novas redes;

• prosseguir na busca de parcerias institucionais e de autarquias que possibilitem a aplicação do conhecimento científico desenvolvido no PROARQ, através de convênios para assessorias técnicas e atividades de capacitação voltadas aos profissionais vinculados a órgãos públicos e a associações da sociedade civil.

 

PLANOS DE METAS ACADÊMICAS - PROEX

Visando ao cumprimento das metas estabelecidas com foco na manutenção da excelência em pesquisa conquistada pelo PROARQ na avaliação quadrienal da CAPES, e em atendimento à Portaria CAPES n° 034, de 30 de maio 2006, o PROARQ  estabelece O Comitê Gestor do PROEX, com as seguintes responsabilidades:

- a descrição das ações a serem adotadas no Programa pelos próximos anos;

- a distribuição dos recursos que serão alocados (para viabilizar a realização das ações estabelecidas);

- os critérios para a utilização e distribuição dos recursos e;

- a descrição das metas quali-quantitativas relacionadas a cada ação.

CLIQUE AQUI para ter acesso ao documento com o Plano de Metas do Comitê Gestor do Proex -CG/PROEX

 

LABORATÓRIOS DE PESQUISA

O PROARQ está localizado no 4o. andar do Edifício Jorge Machado Moreira, onde FAU e EBA / UFRJ convivem, na Av. Pedro Calmon 550. Ocupa as salas 429 a 445 (aproximadamente 700 m2), na Cidade Universitária da UFRJ -Ilha do Fundão. Seu espaço físico é composto por 16 laboratórios dos Grupos de Pesquisa atuantes, que fisicamente ocupam as salas 435, 437, 439 e 441; 3 salas de aula; sala de reunião; auditório com capacidade para 60 pessoas; sala de coordenação; sala para estudodos discentes e secretaria/administração. Os grupos de pesquisa cadastrados e consolidados no CNPq, ao longo dos 30 anos de formação (completos em 2017),  reunem um grande número de docentes, colaboradores, pesquisadores, mestrando, doutorandos, pós-doutorandos, bolsistas de iniciação científica, bolsistas de extensão e bolsistas de apoio técnico, que contam com o apoio financeiro da FAPERJ, CAPES e CNPq. As instalações desses laboratórios estão em consonância com o perfil tecnológico necessário às pesquisas desenvolvidas, tanto em rede física como em rede lógica de recursos multimídia, interligando as salas de aula com acesso à internet pela rede sem fio. Os recursos oriundos dos projetos, convênios, acordos e consultorias são intensamente aplicados nos laboratórios visando torná-los acessíveis à pós-graduação e à graduação, dentro de padrões internacionais.

RECURSOS DE INFORMÁTICA

O PROARQ é equipado com recursos adquiridos não apenas por meio de projetos institucionais, mas também com os apoios obtidos mediante a aprovação de projetos de pesquisas de seus docentes em organismos de fomento (CAPES, CNPq, FAPERJ, FUJB). Muitos de seus equipamentos foram adquiridos por meio de convênios e parcerias com empresas e assessorias a organismos governamentais.Em 2014, o PROARQ contava com cerca de 85 estações de trabalho fixas, 28 estações móveis, 23 impressoras, 6 equipamentos de scanning, 10 projetores de datashow, 13 câmeras digitais de fotografia, 2 câmeras de filmagem, 6 gravadores de áudio portáteis, 1 rede principal de lógica fixa e 1 rede sem fio, e 2 sub-redes sem fio, equipamentos de vídeo conferência multipontos, além dos equipamentos usados nos laboratórios instalados fora do PROARQ, como o de Conforto Ambiental, a Oficina de Maquetes/Laboratório de Modelagem (LAMO) e o Núcleo de Pesquisa e Documentação (NPD).

BIBLIOTECA

Os pós-graduandos do PROARQ tem a sua disposição o acesso à Biblioteca Lucio Costa, que é integrada ao SIBI-Sistema de Bibliotecas, conveniada às bibliotecas da FAU, do IPPUR e da Escola de Belas Artes, e funciona no Bloco D do edifício Jorge Machado Moreira.